Soft Skills – 4 maneiras que o e-learning pode ajudar a desenvolvê-las na sua empresa


O mercado de trabalho mudou bastante nos últimos anos, principalmente pelo advento das novas tecnologias. Com isso, cada vez mais as empresas precisam que seus colaboradores desenvolvam novas habilidades, dentre elas, umas das mais importantes são as soft skills.


Essas habilidades se contrapõem ao conceito de hard skills, que são as competências técnicas desenvolvidas por alguém, tais como: o grau de fluência em uma língua, os conhecimentos sobre uma determinada tecnologia ou a capacidade de utilizar um software específico.


Por seu turno, as soft skills estão associadas à inteligência emocional, ou seja, à forma como a pessoa se comporta diante das intercorrências no dia a dia do trabalho e a outras competências comportamentais.




O que são Soft Skills?

Podemos dizer que soft skills são habilidades exigidas para o sucesso profissional no ambiente de trabalho. São competências muito mais vinculadas ao comportamento da pessoa e à sua personalidade, do que à formação acadêmica e profissional.



Assim, o colaborador com soft skills aperfeiçoadas irá influenciar positivamente o local de trabalho, pois, sua relação com toda a equipe e com os clientes será positiva e proveitosa.


Em vista disso, essas habilidades pessoais não podem ser vistas como menos importantes do que o conhecimento técnico e a formação acadêmica, pois ambos são igualmente significativos para constituição de um bom profissional.


Para o caso do exercício de cargos de liderança, as soft skills têm um peso ainda maior, porque elas são muito relevantes para o bom relacionamento com outras pessoas, um elemento fundamental para qualquer líder de sucesso.


Dificuldades no ensino de Soft Skills


Todos sabemos que o mercado de trabalho a cada dia que passa fica mais concorrido e quem deseja alcançar lugares mais elevados na vida corporativa deve sempre atualizar-se.

Ainda assim, as pessoas dificilmente procuram desenvolver suas competências sociais e relacionais, mesmo elas sendo um grande diferencial no ambiente laboral. Isso ocorre, provavelmente, pelo fato de as soft skills serem habilidades mais complexas, cuja aplicação varia de acordo com cada situação.

Além do mais, as pessoas costumam resistir às mudanças que envolvem seus hábitos adquiridos ao longo de toda a vida, por exemplo, a forma como se relacionam com subordinados ou como se comportam diante de um feedback que não era o esperado.



O que é e-learning?


Com origem na língua inglesa, o termo e-learning pode ser traduzido para o português como “aprendizagem eletrônica”. É uma modalidade de ensino a distância que utiliza as ferramentas tecnológicas para possibilitar o aprendizado dos alunos.


Nesse modelo de ensino-aprendizagem, os recursos educativos são disponibilizados em um ambiente virtual de aprendizagem, de forma síncrona ou assíncrona, onde há também a possibilidade de interação entre as pessoas e podem ser acessados através de dispositivos conectados à internet.


Como o e-learning pode ajudar a desenvolver soft skills?


1. Mensurando resultados

Algo que dificulta a aprendizagem é não disponibilizar ferramentas que avaliem a sua eficácia. Isso ocorre porque as pessoas não se sentem motivadas se não perceberem resultados através dos estudos.

Por isso é importante estabelecer metas claras e mensuráveis, que podem ser percebidas no decorrer dos dias. Alguns exemplos de indicadores podem ser:


● Redução de feedbacks negativos de clientes;


● Aumento dos positivos;


● Redução do tempo gasto com reuniões;


● Aumento da satisfação dos colaboradores;


● Aumento das vendas;


Para que isso dê certo, é necessário que o treinamento oferecido se concentre em desenvolver nos alunos as competências necessárias para atingir esses indicadores.


2. Integrando o e-learning com as necessidades da empresa

Como dissemos, as soft skills dizem respeito às habilidades comunicativas e relacionais, de forma que os treinamentos que objetivem desenvolvê-las devem estar alinhados com as necessidades da organização. Precisam também levar em consideração os objetivos profissionais de cada colaborador.


3. Aulas que ensinem um conceito por vez

A nossa capacidade de nos mantermos focados dura um curto período de tempo, por isso, não é proveitoso utilizar a abordagem tradicional, que oferece um grande número de informações em cada aula. O ideal é que cada intervenção educacional ensine apenas um conceito de cada vez.


Por exemplo, ao invés de disponibilizar no ambiente virtual de aprendizagem aulas de 50 minutos que ensinam várias habilidades, mais proveitoso será cada conteúdo se concentrar em apenas uma habilidade, por exemplo, o uso da linguagem positiva, e durar apenas 10 minutos ou menos.


4. Integrando teoria e prática

É importante que a fase de aquisição de conhecimentos teóricos seja realizada de forma satisfatória, no entanto, um tempo maior deve ser dedicado à prática, pois essa é forma pela qual nós fixamos melhor o que aprendemos.


No e-learning essa prática deve ser feita principalmente de forma síncrona, onde o tutor propõe que o aluno pratique seus conhecimentos com ele, oferecendo em seguida o feedback.


Quando o aluno consegue demonstrar no treinamento as habilidades desenvolvidas, ele conseguirá reproduzi-las no ambiente de trabalho, diante dos imprevistos cotidianos.


Fonte: https://toteduca.com.br/educacao-corporativa-softskills/gestao-de-pessoas/





Colaboração:

Felipe Dalfovo

Voluntário ABRH Blumenau

26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo